Loading...

Wednesday, July 17, 2013

Depois da TelexFree são 16 as outras empresas investigadas

Depois da TelexFree são 16 as outras empresas investigadas

Depois da TelexFree são 16 as outras empresas investigadas

Os Ministérios Públicos (MP) Federal e Estadual de Rondônia fazem um alerta à população do estado sobre a empresa de marketing multinível Telexfree, que foi impedida, em junho deste ano, pela Justiça do Acre a realizar pagamentos e efetuar novas adesões de investidores em todo território nacional. Além disto, os órgãos reforçam o cuidado que as pessoas devem ter diante do surgimento de novas empresas no mercado brasileiro e rondoniense. Um inquérito civil público foi instaurado para realizar a apuração do cumprimento da decisão em Rondônia. Outras 16 empresas brasileiras estão sendo investigadas pelos órgãos.
Gisele Bleggi, procuradora da República, explica que a empresa está sendo investigada pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, e que foi instaurado um processo administrativo contra a Telexfree por motivos de formação de pirâmide financeira e ofensa ao Código de Defesa do Consumidor.
“Há fortes indícios [contra a Telexfree] de pirâmide financeira, o que viola princípios do Código de Defesa do Consumidor, como o princípio da transparência e da boa fé nas relações de consumo. Então, a empresa junta uma grande quantidade de adeptos e tem a expectativa de lucro da corporação somente com a adesão de novos investidores. Chegará um momento que só os dirigentes, que estão no topo da pirâmide, irão ter lucros”, explica.
Chegará um momento que só os dirigentes, que estão no topo da pirâmide, irão ter lucros"
Gisele Bleggi, procuradora da República
A procuradora da República explica que as pessoas devem comunicar às autoridades caso vejam divulgação do serviços das empresas. "Qualquer notícia que população tenha que está sendo realizadas divulgações do serviço ainda, deverá ser feito um comunicado às autoridades competentes e evitar se deixar ‘seduzir’ pelo os conceitos do negócio porque 90% dos investidores sofreram prejuízos”, ressalta.
Promotores e procuradores dos MPs Federal e Estadual de todo o país realizam uma força-tarefa para investigar outras 16 empresas suspeitas de praticar crime financeiro. Um inquérito civil público irá apurar o cumprimento da referida decisão da Justiça do Acre em Rondônia. “A Procuradoria de Rondônia abriu um inquérito civil público para acompanhar a Telexfree no estado em cumprimento da decisão da Justiça do Acre, que impediu qualquer novo cadastro, pagamento e/ou bonificação a investidores. Em relação à BBom, foi também aberto um inquérito, nos mesmos termos da Telexfree", explica.
Investindo em uma das empresas financeiras há pouco tempo, em Porto Velho, Alison Fernandes conta que está satisfeito com o resultado dos investimentos, entretanto, o investidor conta que analisou com bastante cuidado antes de investir no empreendimento. "Me informei melhor sobre a empresa, mesmo que ela esteja no começo. Então, o máximo que eu pude pesquisar e me informar sobre como era que a empresa funcionava, eu fiz", comenta.
Busca Driver

Respons

0 Comment:

Post a Comment